América Latina e Caribe se distanciam do objetivo de erradicar o trabalho infantil devido à pandemia

Sexta-feira, Junho 11, 2021

PANAMÁ  - LIMA, 11 de junho de 2021 - A pandemia COVID-19 neutraliza os esforços dos países da América Latina e do Caribe para cumprir a meta de erradicar o trabalho infantil até 2025, alertaram hoje a OIT e a UNICEF.

Em uma região duramente atingida pela pandemia, o fechamento prolongado de escolas e o aumento da pobreza entre as famílias mais vulneráveis ​​estão empurrando mais crianças na América Latina e no Caribe para o trabalho infantil, após anos de redução.

O novo relatório OIT-UNICEF (2021) estima que 8,2 milhões de crianças entre 5 e 17 anos trabalham na América Latina e no Caribe. A maioria dessas crianças são meninos adolescentes e 33% são meninas. O trabalho infantil está presente tanto nas áreas rurais quanto nas urbanas, e 48,7% encontra-se no setor agrícola. Pouco menos de 50% das pessoas que participam do trabalho infantil o fazem no trabalho familiar.

Mais de 50% das crianças realizam trabalhos perigosos, ou seja, perigosos para sua saúde, educação e bem-estar. O trabalho infantil é uma triste realidade para muitas crianças nesta região.

“A combinação de perda de empregos, aumento da pobreza e fechamento de escolas é uma tempestade perfeita para a proliferação do trabalho infantil. Abandonar a escola e entrar no mercado de trabalho prematuramente reduz as chances de conseguir empregos melhores no futuro., Perpetuando a armadilha da pobreza, “disse Vinícius Pinheiro, Diretor Regional da OIT para a América Latina e Caribe. “É verdade que houve avanços nas últimas duas décadas na região, mas os números ainda são muito altos, e a crise social e econômica causada pela pandemia pode causar um retrocesso dramático se não for implementada logo”.

“O diálogo social e a cooperação internacional são essenciais para uma resposta que inclua medidas de proteção social, mais e melhor educação, fortalecimento da inspeção do trabalho e trabalho decente para os pais”.

Apesar da redução do trabalho infantil na região da América Latina e Caribe em 2,3 milhões entre 2016 e 2020, estima-se que a crise causada pela pandemia possa reverter essa tendência positiva.

O número de crianças em domicílios de baixa renda aumentou como resultado da perda de emprego e renda das famílias, e as famílias podem recorrer ao trabalho infantil como mecanismo de sobrevivência. Segundo a OIT e a CEPAL, essa prática pode aumentar entre 1 e 3 pontos percentuais, ou seja, entre 100.000 e 326.000 crianças a mais. [1]

“Visto que muitas escolas permanecem fechadas e famílias pobres em confinamento têm perdido renda por meses e meses, estamos vendo mais crianças latino-americanas e caribenhas abandonando a escola e entrando no trabalho infantil. Os que correm maior risco são as famílias que perderam sua renda e meios de subsistência ", alertou Jean Gough, Diretor Regional do UNICEF para a América Latina e o Caribe." A América Latina e o Caribe espera ser a primeira região do mundo a erradicar o trabalho infantil até 2025. A pandemia tornou esse objetivo cada vez mais difícil de ser alcançado. Mais crianças em toda a região provavelmente cairão no trabalho infantil nos próximos meses, a menos que as famílias sejam ajudadas rapidamente. "

O trabalho infantil prejudica meninos e meninas física e mentalmente. O trabalho infantil compromete a educação, restringindo seus direitos e limitando suas oportunidades futuras, levando a viciosos ciclos intergeracionais de pobreza e trabalho infantil.

Neste Dia Mundial pela Eliminação do Trabalho Infantil, a Organização Internacional do Trabalho e o UNICEF reivindicam um aumento nos gastos com serviços públicos como a proteção social; acesso universal à educação gratuita e de boa qualidade e reabertura segura de escolas; trabalho decente para adultos e jovens em idade legal para o trabalho; um retorno ao trabalho infantil na agricultura; que sejam promulgadas leis que protejam melhor as crianças, que sejam efetivamente aplicadas e que sistemas abrangentes de proteção infantil sejam implementados onde não existem.

Sobre a OIT

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) se dedica à promoção da justiça social, direitos humanos e trabalhistas reconhecidos internacionalmente. Única agência 'tripartite' da ONU, a OIT reúne governos, empregadores e trabalhadores de 187 estados membros para estabelecer padrões de trabalho, formular políticas e desenvolver programas que promovam trabalho decente para todos.

Um próximo ao UNICEF O    
UNICEF trabalha em alguns dos lugares mais difíceis de alcançar as crianças e adolescentes mais desfavorecidos. Em 190 países e territórios, trabalhamos por todas as crianças, em todos os lugares, com o objetivo de construir um mundo melhor para todos.

Para mais informações entre em contato :    

Luis Cordova, OIT América Latina e Caribe, cordova@ilo.org +51 989301246

Marisol Quintero, UNICEF América Latina e Caribe, mquintero@unicef.org + 507.6569-2718  

 
[1] A pandemia COVID-19 pode aumentar o trabalho infantil na América Latina e no Caribe. Nota Técnica N ° 1

 

Comentários

fbfb Avatar

fbfb há 3 semanas

fbfbfb