Apresentações e experiências regionais desenvolvidas durante o V Seminário Virtual Internacional

25 de julho de 2016

Dia Mundial contra o Trabalho Infantil

OIT

especialistas

redes de fornecimento

experiências regionais

América latina e caribe

Pacto Global

Coca Cola Brasil

Ingenio Lázaro Cárdenas

Se você tiver interesse em saber mais sobre os temas que foram abordados no V Seminário Virtual Internacional “Prosperidade sem sacrifícios: construindo cadeias produtivas sem trabalho infantil”, convidamos você a baixar as apresentações e as experiências regionais desenvolvidas. 

Aqui está um breve resumo de cada um deles. 

  • “Cadeias produtivas e de abastecimento: desafios para a erradicação e prevenção do trabalho infantil”

Palestrante: Merten Sievers, especialista em Desenvolvimento da Cadeia de Valor e Treinamento de Empreendedorismo para Pequenas e Médias Empresas (PME) na OIT 

Segundo Merten Sievers, a complexa mecânica de trabalho da cadeia, que visa alcançar maior produtividade e competitividade para o negócio, leva a menores custos e ao uso de mão de obra mais barata como a infantil e apesar da empresa não ter intenção de ter filhos trabalhando, isso se torna uma realidade difícil de controlar. Como resultado, diz Sievers, o trabalho infantil e algumas de suas piores formas podem se tornar invisíveis nas cadeias de abastecimento. Portanto, entre os principais desafios está a identificação e análise dos pontos de contato dos diferentes mercados e o combate à pobreza por meio do desenvolvimento de instrumentos de inclusão econômica para as famílias.

Encontre a apresentação completa aqui.

Vídeo promocional de Merten Sievers

  • Contribuição do setor privado para a erradicação do trabalho infantil

Palestrante: Diana Chávez, diretora do Centro Regional para América Latina e Caribe em apoio ao Pacto Global das Nações Unidas 

Para Diana Chávez, as empresas devem garantir que a questão do trabalho infantil seja uma das prioridades da estratégia. As pequenas, médias e grandes empresas que o abordam vão gerar um impacto positivo no crescimento econômico da região e de suas operações. Nesse sentido, as empresas devem identificar seu papel como ator econômico e como podem potencializar as ações do Estado em torno desta realidade em que vivem 12,5 milhões de crianças e adolescentes.

Encontre a apresentação completa aqui.

Vídeo promocional de Diana Chávez

  • Experiências regionais

1. “Açaí sem trabalho infantil: uma história forjada na Amazônia” 

Instituição executora: Coca Cola Brasil

Pessoa de contato:  Luiz André Soares - Gerente de Sustentabilidade e Valor Compartilhado

Açaí sem trabalho infantil é uma estratégia do programa “Coletivo Floresta”, que nasceu em 2013 e faz parte da Plataforma Coletiva de Valor Compartilhado da Coca-Cola Brasil, que visa gerar benefícios em toda a cadeia de valor da empresa, garantindo uma sustentabilidade cadeia, com uma abordagem de rastreabilidade.

Para saber mais sobre esta boa prática, entre aqui.

Video promocional de Luiz André Soares

2. "Tolerância zero ao trabalho infantil e certificação BONSUCRO no México"

Instituição executora: Ingenio Azucarero Lázaro Cárdenas - Grupo Azucarero México (GAM)

Pessoa de contato: Mario René Hernández - Gerente de Gestão de Qualidade

O Ingenio Lázaro Cárdenas, além de ações de sensibilização e capacitação, criou um procedimento de monitoramento para garantir que não haja crianças e adolescentes trabalhando nas lavouras canavieiras, principalmente os certificados pelo BONSUCRO.

A prática começou na área de recursos humanos e posteriormente passou para a área de Gestão da Qualidade, uma vez que a certificação BONSUCRO busca melhorar a competitividade e sustentabilidade da produção de açúcar.

Para saber mais sobre esta boa prática, entre aqui.

Vídeo promocional de Mario René Hernández

3. Tolerância zero com o trabalho infantil na cadeia de valor do agronegócio da cana-de-açúcar no México

Instituição executora: Câmara Nacional das Indústrias do Açúcar e do Álcool - CNIAA

Pessoa de contato: Maximiliano Camiro - Diretor Jurídico da Câmara

A boa prática da Câmara Nacional da Indústria do Açúcar e do Álcool (CNIAA) faz parte de um programa denominado "Declaração de tolerância zero ao trabalho infantil na cadeia de valor do agronegócio da cana-de-açúcar no México", uma estratégia setorial, que se traduz em política e uma ferramenta para prevenir e erradicar o trabalho infantil.

Para saber mais sobre esta boa prática, entre aqui. 

Atenção! Em breve, estaremos publicando três novas experiências regionais. 

Ainda não há comentários.

Comentários